Galinhas da discórdia

Exposição do Dragão do Mar pode ser suspensa por desrespeito à lei de proteção aos animais

A polêmica envolve a exposição “Galinhas de Gala e Galinheiro de Gala”, de Laura Lima, em cartaz, desde 27 de novembro, no Museu de Arte Contemporânea do Dragão do Mar (MAC). A mostra é composta de galinhas vivas, enfeitadas com penas e plumas de carnaval aplicadas na extremidade das penas naturais, num trabalho que exige a técnica “megahair”, a mesma usada no alongamento de cabelos. “Minhas obras, no geral, têm como ‘material’ o ser vivo. ‘A coisa viva’ possibilita o inesperado, a ausência de controle, e isso é muito fascinante”, avalia a artista, que já realizou outras cinco exposições semelhantes.

A presidente da União Internacional de Proteção aos Animais (Uipa-CE), Geusa Leitão, não consegue compartilhar do mesmo fascínio de Laura Lima. “Para a representante da Uipa, não existe arte na exposição do Dragão do Mar. “O que se vê, ali, é o maltrato de galinhas, um claro abuso aos animais. As galinhas foram colocadas em um local inadequado e ficam em exposição quando deveriam estar dormindo. Sem falar naquelas plumas coladas nos bichos. Fico impressionada como o Dragão do Mar aceita uma coisas dessas. Isso não é cultura, é uma espécie de carnaval sádico”, diz.

Baseada na lei de crimes ambientais, Geusa Leitão entrou com uma representação na Procuradoria Geral de Justiça solicitando a suspensão da exposição do MAC. Segundo ela, o Ministério Público, caso julgue procedente sua representação, pode até requisitar ao comando de meio ambiente da Polícia Militar que faça a apreensão dos animais. “O que acontece nesta exposição não é diferente dos maus-tratos praticados nos circos, onde obrigam um elefante a sentar num banquinho, um tigre a passar por um círculo de fogo, um macaco a usar roupas humanas e andar de bicicleta. Não é diferente do carroceiro que obriga o burro a puxar um peso superior à força do animal”, compara.

Polêmica saudável

Esta é a primeira vez que uma obra de Laura Lima corre o risco de ser interditada. “Ela fez exposição semelhante em Brasília, no Rio de Janeiro e até na Espanha. E nunca houve nenhum tipo de problema”, informa o artista plástico José Guedes, diretor do MAC. Segundo ele, as galinhas não são maltratadas na exposição. “O espaço foi pensado para oferecer conforto às galinhas. O piso é forrado com madeira, não falta água, nem comida. E tem uma pessoa só para cuidar delas. Ao meu ver, a exposição está dando uma sobrevida às galinhas. Se isso não tivesse acontecendo, talvez elas já estivessem nas panelas”, comenta. De qualquer maneira, José Guedes considera a polêmica muito saudável. “É uma boa oportunidade para discutir o que é maltrato aos animais e o que é hipocrisia”, ironiza. Segundo o artista, as galinhas expostas no Dragão do Mar estão em situação “bem mais confortável” do que os frangos criados nas granjas industriais, onde passam a noite em claro, acordados, engordando, antes de ir parar nos pratos das pessoas. “Toda esta polêmica só mostra que a exposição de Laura Lima vem cumprindo bem a sua função de obra de arte. E seria muito bom que as pessoas fossem ver a exposição no Dragão”.

Aves premiadas

Laura Lima vem trabalhando com animais vivos desde meados da década de 90. Suas obras são consideradas ousadas, inusitadas. Com suas galinhas “psicodélicas”, ela venceu o prêmio CNI Sesi Marcantonio Vilaça, um dos mais importantes das artes plásticas do Brasil. Mineira radicada no Rio de Janeiro, ela usa outras aves em seus trabalhos. Foi assim que, em 2005, pavões e faisões foram parar no Centro Cultural Banco do Brasil. Atualmente, sua galeria – A Gentil Carioca -, na capital fluminense, foi transformada em um viveiro de pássaros, como parte de uma exposição que se estende até 20 de dezembro. 

Mais informações:
´Galinhas de Gala e Galinheiro de Gala´, exposição de Laura Lima, continua em cartaz no MAC, no Dragão do Mar. Visitas de terça a quinta, das 9h às 19h – acesso até às 18h30. De sexta a domingo, das 14 às 21h – acesso até às 20h30. Entrada Franca. Informações: (85) 3488.8624/ 3488.8622.

DÉLIO ROCHA
Repórter

Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?Codigo=595041

About Alex Avancini

Alex Avancini é anti-especista e incentivador da ação pelos direitos dos animais não humanos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: